• Unidade Centro (24h)
    (86) 3301-2500
  • Medical Leste
    (86) 3301-2510
  • WhatsApp
    (86) 99573-8479

Mitos e verdades em Otorrinolaringologia

22 de novembro de 2009

Mitos e verdades

Mito: Cera é sujeira

Verdade: A cera, ou cerume, não é sujeira. É, na verdade, a secreção das glândulas que fabricam sebo. A cera serve como protetor e impermeabilizante da pele sensível do conduto auditivo. É importante frisar que o ouvido é “autolimpante”, por isso não é preciso utilizar objetos com o intuito de “ajudar” a natureza. Lembre-se do que os mais antigos diziam:”Muito ajuda quem não atrapalha”.

Mito: A melhor maneira de limpar as orelhinhas de um bebê é com cotonetes.

Verdade: As mães podem utilizar a pontinha da toalha para limpar externamente a orelha de seu bebê. Se usarem cotonetes, caem na tentação de colocá-lo no interior do conduto auditivo externo da criança, impedindo o processo normal de autolimpeza do ouvido. Além do mais, o cotonete “empurra” a cera mais para o interior do conduto ao invés de retirá-lo.

Mito: Tingir os cabelos causa coceira nos ouvidos.

Verdade: O contato da pele do ouvido com produtos químicos perfume, tinta de cabelo, cremes etc. – pode causar irritação e coceira principalmente nas pessoas que são alérgicas. É importante, portanto, proteger os ouvidos nessas circunstâncias.

Mito: Toda pessoa que apresentar sangramento pelo ouvido ficará surda.

Verdade: Nem sempre a otorragia – saída de sangue pelo ouvido – significa perda auditiva permanente. Depende muito do local e causa do sangramento. Isso somente seu médio poderá dizer.

Mito: Beijos na orelha são inofensivos.

Verdade: O beijo “estalado” causa uma pressão no tímpano e um barulho muito grande que podem levar à diminuição da audição por romper a membrana timpânica ou por trauma acústico. É melhor demonstrar carinho escolhendo outros métodos.

Mito: A otite média aguda é uma doença simples que não traz complicações.

A verdade: Apesar de a otite média aguda ser uma doença freqüente em crianças e de ter tratamento relativamente fácil, podem ocorrer algumas complicações abscesso cerebral, labirintite, paralisia fácil.

Mito: As crianças têm mais probabilidade de contrair otite média.

Verdade: Como vimos, a tuba auditiva que comunica o ouvido médio e a nasofaringe é mais curta na criança, mais horizontalizada e mais ampla, permitindo fácil contaminação do ouvido médio pela nasofaringe. É por isso que crianças que mamam deitadas ou reclinadas têm mais otite média do que aquelas que mamam sentadas. Crianças que ficam em berçários ou creches têm maior chance de apresentar infecções das vias aéreas superiores por contágio e, conseqüentemente, de desenvolver otites médias de repetição.
Mito: Depois da timpanoplastia não vou voltar a ouvir como antes.

A verdade: A timpanoplastia tem a finalidade de restabelecer a audição e fechar a perfuração do tímpano. Nessa cirurgia, a cadeia ossicular é testada e, se necessário, reconstruída de maneira que tudo funcione bem e você volte a ouvir.

Mito: O aparelho auditivo está imitante a qualquer droga.

Verdade: Isso não é verdade. Quase todas as drogas ototóxicas (tóxicas ao ouvido) têm excreção renal. Se há insuficiência renal, o perigo aumenta porque pode ocorrer acúmulo de substâncias tóxicas. O dano é causado principalmente na cóclea e no sistema vestibular – ouvido interno. Veja quais drogas devem ser evitadas:
Antibióticos: estrepromícina, neomícina, viomícina, garamícina, vancomínica, gentamínica, tobramícina.
Disibeticos: ácido etacrionico e furosemida.
Derivados: da química e salicilatos.
Outros: monóxido de carbono, intoxicação por mercúrio, tabaco, ouro, arsênico, álcool, anilina.

Mito: Se tenho tontura, é porque tenho labirintite.

Verdade: Como já vimos, existem muitas causas para tonturas. A labirintite não é a única vilã da história. O diagnóstico correto é muito importante para que qualquer tratamento seja eficaz e correto.

Mito: Existem otites que nunca saram.

A verdade: Não é verdade, mas cuidado. Se seu filho vive com otite média aguda:
1) Ele não deve mamar deitado.
2) Certifique-se de que o antibiótico preserito por seu médico
pediatra ou otorrino está sendo dado no horário correto, em
doses certas e durante o número de dias estipulados.
3) Existem fatores que predispõem seu filho a apresentar otites de repetição?
Em alguns casos, recomendamos que a mãe tire a criança do berçário e cuide dela pessoalmente. Por melhor que seja o berçário, ninguém cuida do seu filho com mais amor e carinho do que a própria mãe. Quando a criança estiver melhor e mais forte, poderá voltar ao berçário ou à “escolinha”. Outro fator que predispõe a infecções é a alergia. Seu médico poderá orientá-la a esse respeito.

Mito: Natação nunca faz mal, mesmo para quem tem perfuração nos tímpanos.

Verdade: É preciso evitar a entrada de água no ouvido no caso de perfuração do tímpano. No banho ou na natação, deve-se sempre utilizar tampão. Recomendamos que a pessoa com perfuração no tímpano evite temporariamente a natação. Os plugs de ouvido nem semrpe vedam bem e é melhor não correr riscos desnecessários.

Mito: Quem reclama de ouvir barulhos nos ouvidos está ficando velho.

A verdade: Os zumbidos nos ouvidos às vezes vêm acompanhados de queixas auditivas, porém não são índices de velhice. Há vários motivos que levam uma pessoa a apresentar acúfenos, como vimos anteriormente.

Mito: Quem trabalha em lugares barulhentos tende a perder a audição.

Verdade: Não necessariamente. Hoje, as indústrias estão mais cuidadosas com a saúde de seus empregados. Os trabalhadores expostos a altos índices de ruídos devem usar protetores auditivos específicos. É também obrigatório,por lei, o controle periódico da audição desses funcionários, bem como o controle dos decibéis no local de trabalho.

Mito: Problemas na articulação do osso temporal e o maxilar podem trazer dor de ouvido.

Verdade: A disfunção da articulação têmpora-mandibula (ATM), próxima ao ouvido, pode provocar dor em um ou nos dois ouvidos e se irradiar para o pescoço e para a cabeça. Os problemas odontológicos, por exemplo, próteses ou restaurações mal ajustadas, são as causas mais freqüentes da disfunção da ATM. Pessoas com problemas nessa articulação sofrem dor após mastigar alimentos muito duros; alguns ouvem uma crepétação quando abrem e fecham a boca. Nesses casos, o ideal é manter a ATM em repouso, não mastigar nem falar muito e procurar um dentista buço-maxilo-facil.

Mito: Quando fico com dor de ouvido, tomo qualquer antibiótico e melhoro.

Verdade: Essa frase é comum, porém falsa. O uso de antibióticos deve ser muito criterioso. Seu médico, e somente ele, irá escolher o melhor antibiótico que você deve tomar, e “se” você deve tomá-lo. Não se deixe levar por histórias de vizinhas, amigos e curiosos.
Lembre-se de que é a sua saúde que está em jogo. Para ser eficaz, a antibioticoterapia deverá ser seguida corretamente. Seu médico dará explicações sobre dose, horário e duração do tratamento. Os efeitos colaterais que podem ocorrer eventualmente são: dores de estômago, diarréia e vômitos. Algumas pessoas apresentam vermelhidão na pele e inchaço nos olhos após o uso de antibióticos. Caso aconteça qualquer um desses e efeitos colaterais, avise seu médico e ele irá trocar a medicação.

1 Comentário

  1. euclides gama
    2 de maio de 2010

    Qual o melhor aparelho o intra ou o retro,digo, em qualidade mesmo?


Escreva um comentário